,

Como pessoas migrantes e refugiadas podem criar um bom perfil no LinkedIn

15/03/2024
• Atualizado em 2 de julho de 2024
Homem sentado à mesa utilizando um notebook. Ele é branco, tem cabelo curto e preto, e veste uma camisa bege de manga curta.

A verdade é que ter um bom perfil no LinkedIn é imprescindível para conquistar novas oportunidades profissionais. 

Afinal, as redes sociais estão ocupando cada vez mais espaço em nossas vidas. E esse cenário não é diferente no mundo corporativo. 

O Linkedin é uma excelente plataforma para valorizar a sua imagem profissional, fazer networking e realizar candidaturas a vagas de emprego. 

Para pessoas migrantes e refugiadas, esse canal pode ser ainda mais importante. Isso se deve ao fato de que a plataforma oferece uma rede global que ultrapassa fronteiras geográficas e culturais. 

Dessa forma, o Linkedin facilita a conexão com empresas e profissionais de diferentes locais do mundo. 

Neste conteúdo, vamos explicar passo a passo como deixar o seu perfil mais atraente. 

Por que é importante criar um bom perfil no LinkedIn?

Construir um bom perfil no Linkedin é fundamental para ganhar destaque em um mercado de trabalho competitivo. 

Hoje, diversas vagas de emprego não são divulgadas abertamente. Nesse caso, em vez de solicitar currículos, as empresas buscam ativamente profissionais cadastrados no Linkedin compatíveis com o cargo disponível. Esse processo é chamado de hunting.  

Isso quer dizer que a prática de enviar currículos está acabando? Não! Mas atualmente já existem novas formas de recrutamento. 

Por isso, é essencial ter um bom perfil no Linkedin, além de realizar candidaturas em sites de emprego.

Aliás, existem também empresas que divulgam vagas exclusivamente por essa plataforma.

Outra razão pela qual você deve considerar utilizar o Linkedin é a possibilidade de ampliar sua rede de contatos. 

Ao interagir com profissionais do seu setor, você não só aumenta suas chances de ser recomendado para uma posição, como também compartilha conhecimentos valiosos para o seu desenvolvimento profissional. 

Por fim, no Linkedin também é possível receber recomendações de colegas de trabalho, estudos ou clientes que validem suas competências técnicas e comportamentais. 

Em resumo, estes são os motivos pelos quais você deve criar um bom perfil no Linkedin:

  • Ser encontrado por recrutadores 
  • Realizar candidaturas a vagas divulgadas exclusivamente pelo Linkedin
  • Fazer networking
  • Demonstrar sua expertise e experiência profissional de forma pública
  • Receber recomendações de colegas e clientes

O que é um perfil campeão no Linkedin?

Um perfil campeão no LinkedIn é basicamente aquela página na qual todos os campos de cadastro estão preenchidos. 

Quanto mais dados, mais destaque o seu perfil terá. Isso ocorre porque a rede tende a mostrar em resultados de buscas aqueles perfis que estão mais completos. 

Além disso, inserir todas as suas informações da maneira correta ajuda o Linkedin a sugerir vagas e conexões mais relevantes para você. 

E é por isso que um profissional sem um bom perfil no Linkedin fica em desvantagem em relação às outras pessoas candidatas. 

Passo a passo para criar um bom perfil no Linkedin

1° passo: adicione uma foto ao seu perfil

Escolha uma foto de alta qualidade que transmita profissionalismo. Abaixo, confira algumas dicas para escolher uma boa imagem:

  1. Use fundos neutros, como uma parede branca
  2. Verifique se não há pessoas ou muitos objetos ao fundo da foto
  3. Evite utilizar a mesma cor de roupa do fundo da sua foto. Por exemplo, se a sua parede é branca, use outra cor de vestimenta. 
  4. Fotografe em um ambiente bem iluminado
  5. Sorria de forma natural
  6. Vista-se como se fosse para o seu primeiro dia de trabalho ou para uma entrevista de emprego. 
  7. Dica extra: pesquise no Google Imagens “poses para foto profissional no linkedin” para ter ideias de posições e ângulos para sua foto. 

Uma boa imagem aumenta a sua credibilidade profissional e ajuda a atrair mais visitantes para seu perfil.

Mulher sentada em uma cadeira sorrindo. Ela é branca, tem cabelo preto curto e está vestindo uma blusa terracota.

2° passo: inclua palavras-chave no título e na descrição 

Insira palavras relacionadas ao seu cargo atual ou ao setor de atuação desejado. Por exemplo, se você é um desenvolvedor web, pode adicionar palavras como “Desenvolvedor Front-end | React | JavaScript”.  

Evite expressões como “desempregado”, “em busca de recolocação profissional” ou “em busca de oportunidades”.

Uma outra prática recomendada é adicionar palavras-chave importantes ao longo de todo o seu perfil. 

Por exemplo, ao preencher o campo “Sobre”, pense em como pode integrar suas habilidades no texto. 

3° passo: escreva um bom resumo

Produza um texto apresentando a sua trajetória profissional e um pouco da sua personalidade no campo “Sobre”. 

Essa seção deve expressar suas conquistas, motivações e objetivos de carreira. Além disso, você pode utilizar esse espaço para mencionar experiências profissionais, ferramentas que você domina, certificados que conquistou, segmentos de empresas que já trabalhou, entre outros detalhes importantes. 

Inclusive, caso tenha experiência profissional, detalhe seus resultados alcançados. Por exemplo: “Implementação de melhorias na interface do usuário que resultou em uma redução de 50% na taxa de rejeição do site”.

A própria página do Linkedin oferece exemplos de resumos profissionais. Clique aqui para conferir. 

Na seção de “Sobre”, você também pode adicionar competências 

Exemplos de resumo para perfil do Linkedin

Perfil júnior (Front-end)

Desenvolvedor web apaixonado por concretizar ideias por meio de interfaces intuitivas e experiências digitais envolventes. Com foco em Front-end, possuo amplo conhecimento em 

em HTML, CSS, JavaScript, React, Bootstrap, entre outros recursos. 

Coleciono diversos cursos na área de tecnologia, como Angular, Next.JS e Svelte, além de falar fluentemente inglês, português e espanhol. 

Busco uma oportunidade para realizar uma transição de carreira para a minha verdadeira vocação: a área de tecnologia. Com experiência sólida em atendimento ao cliente, possuo uma bagagem valiosa que se alinha perfeitamente com as demandas desse setor. 

Durante três anos, estive na linha de frente lidando com uma variedade de clientes, compreendendo suas necessidades, resolvendo problemas e garantindo sua satisfação. 

Perfil sênior (Analista de Dados) 

Analista de dados sênior com mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento e implementação de análises de dados em empresas multinacionais. 

Possuo expertise em construção de dashboards, criação e atualização de KPI’s, identificação de melhorias e otimização de processos por meio de automações e análises de dados. 

Tenho profundo conhecimento em metodologias ágeis, ferramentas como Power BI, Looker, Data Studio, Excel, além de domínio de linguagens como SQL, VBA, LookML e Python. 

Ao longo da minha carreira, coleciono alguns resultados:

  • Implementação de soluções de automação que reduziram em 30% o tempo gasto em tarefas manuais;
  • Criação de técnicas avançadas de análise e segmentação de clientes que resultaram em uma melhoria de 40% na captura de leads em campanhas de marketing.

4° passo: inclua seu portfólio

Adicione o seu portfólio ao seu perfil do Linkedin. Isso é extremamente importante para mostrar os projetos que você atuou e suas habilidades práticas. 

No topo do seu perfil, existe um botão de “adicionar seção”. Lá, você pode inserir a URL do seu portfólio clicando na opção “recomendado” e, em seguida, em “adicionar em destaque”. 

5° passo: personalize a URL do seu perfil

Crie um link personalizado com seu nome para facilitar o compartilhamento do seu perfil e demonstrar mais profissionalismo. 

Para isso, basta ir até o seu perfil, clicar no ícone de lápis ao lado de “perfil público e URL” e depois clicar mais uma vez no ícone de lápis abaixo de “Alterar sua URL personalizada”

Print do perfil do linkedin mostrando como personalizar a URL
Como personalizar a URL do perfil de Linkedin

Importante: evite que o link seja composto por números aleatórios.

6° passo: adicione suas experiências

Liste suas experiências profissionais de forma detalhada, incluindo corretamente seu cargo, a empresa, suas responsabilidades e os resultados alcançados.

É recomendado que você estruture suas funções em tópicos de até duas linhas, além de respeitar as normas da língua portuguesa. 

A seguir, confira um exemplo para o cargo de Analista de Dados

Descrição:

  • Construção e gerenciamento de dashboards para acompanhamento de resultados (PowerBI, Metabase, Tableau);
  • Extração de amostras estatisticamente significativas para análises comparativas e testes de mercado;
  • Apresentação de análises e recomendações para a alta administração, fornecendo suporte para a tomada de decisões estratégicas baseadas em dados.

Resultados:

  • Aumento de 18% nas vendas online após a análise de perfis de clientes mais lucrativos e ajuste das estratégias de marketing digital.
  • Redução de 15% no tempo médio de ciclo de desenvolvimento de produtos, otimizando processos com base em análises de dados de feedback dos clientes e desempenho de produtos anteriores.

7° passo: compartilhe sua formação acadêmica

Inclua seus estudos no campo destinado à formação acadêmica. No campo de descrição, é possível inserir as disciplinas que melhor se relacionam com sua área de atuação.

8° passo: divulgue suas licenças e certificados 

Não esqueça de incluir cursos livres, workshops ou outras formações complementares que você tenha concluído.

Isso demonstra seu compromisso com o aprendizado contínuo e seu desenvolvimento profissional.

9° passo: insira competências e habilidades

Adicione suas principais competências e habilidades que destacam a sua trajetória profissional. Aqui, você pode incluir uma média de 50 competências. 

10° passo: solicite recomendações 

Peça recomendações para colegas de trabalho ou gestores que possam atestar suas habilidades e desempenho profissional. 

No LinkedIn, você pode enviar solicitações de recomendação diretamente aos seus contatos. Certifique-se de personalizar cada solicitação, explicando por que você valoriza a opinião da pessoa e como a recomendação pode beneficiar seu perfil profissional

11° passo: interaja com a sua rede

Curta postagens, faça comentários, converse com pessoas da sua rede e crie conteúdo regularmente. Quanto mais você interage, maior será sua visibilidade no LinkedIn. 

Basicamente, isso ocorre porque a rede prioriza perfis ativos nos resultados de buscas. 

Então, sempre que possível, crie postagens sobre formações concluídas, aprendizados e projetos trabalhados. 

Perguntas e respostas sobre o perfil do Linkedin

A Analista de Gente e Gestão da Toti, Karine Pereira, respondeu algumas perguntas sobre como criar um perfil atrativo no LinkedIn.

Devo informar que sou migrante ou refugiado?

Karine: Não é obrigatório, mas pode ser interessante. Hoje, cada vez mais empresas estão abrindo processo de seleção com foco em diversidade e inclusão, e ter essa informação destacada em algum lugar pode ajudar.

No currículo, a sua condição migratória pode ser incluída no espaço de apresentação. Já no Linkedin, pode ser adicionada no campo “sobre” ou no título. 

Devo deixar a parte de experiência profissional vazia caso não tenha vivência profissional?

Karine: Sim. A falta de experiência profissional pode ser substituída por cursos, voluntariados, projetos freelancer e participação em movimentos acadêmicos, como em empresas juniores, atlética, comissão de formatura, entre outros.

Se estou mudando de área, devo incluir as experiências profissionais da área anterior, mesmo que sejam diferentes do setor pretendido?

Karine: Sim! É interessante ressaltar atividades anteriores que tenham o mínimo de contato com a área pretendida.

Por exemplo, caso queira migrar para a área de tecnologia, experiências com softwares, processos de análises de dados, confecção de documentos e até mesmo o contato com clientes podem ser valorizados. 

Afinal, a comunicação é uma das habilidades requisitadas na área de TI. 

E se eu não tiver pessoas para fazer recomendações para mim, já que nunca trabalhei?

Karine: Você pode solicitar para professores, colegas de classe e mentores.

Quais erros comuns vocês, recrutadores, observam em perfis do LinkedIn?

Karine: Falta de palavras chaves no perfil. Muitas vagas são preenchidas por meio 

meio de processos de hunting, nos quais os candidatos são ativamente procurados pelos recrutadores, e é com base nessas palavras chaves que identificamos os perfis aderentes. 

Além disso, existem outros erros frequentes como perfis incompletos, sem as experiências profissionais, cursos realizados ou projetos desenvolvidos. 

Saiba como monitorar o desempenho do seu Linkedin

Muitas pessoas não sabem, mas é possível monitorar o desempenho do perfil no Linkedin. 

O SSI do LinkedIn, ou Social Selling Index, é a métrica que avalia o seu uso da plataforma para vendas sociais. O recurso mede, em uma escala de 0 a 100, sua presença e atividade na rede.

Essa pontuação tem como base quatro pilares, que são: estabelecer sua marca profissional, localizar as pessoas certas, interagir oferecendo insights e criar relacionamento. 

Por isso, o SSI é um indicador tão importante para saber se você está utilizando a rede para potencializar a sua carreira. 

Confira 5 dicas para melhorar o seu perfil no Linkedin e aumentar o resultado do seu SSI:

  1. Crie um perfil com todos os campos preenchidos
  2. Fortaleça sua marca pessoal ao solicitar recomendações de colegas de trabalho e adicionar competências profissionais
  3. Conecte-se com pessoas relevantes para a sua área de atuação
  4. Crie conteúdo e interaja em postagens de outras pessoas
  5. Cultive relacionamentos 

Para avaliar seu SSI, basta acessar este link

Conteúdo do Artigo

Você também vai gostar!

Desenvolvedor front-end: funções, salários, oportunidades e dicas para entrar no mercado de trabalho

Confira um guia sobre como se tornar um desenvolvedor front-end. Descubra funções, salários, oportunidades e dicas para conseguir um emprego.

Toti Diversidade oferece cursos para migrantes e refugiados no Brasil e ainda ajuda na empregabilidade deles

A Toti disponibiliza gratuitamente cursos para migrantes e refugiados com foco em empregabilidade. Confira a lista de cursos.

Quais são os direitos dos refugiados e migrantes no Brasil? Confira tudo o que você precisa saber

O Brasil é reconhecido como um país que acolhe imigrantes. Mas quais são os direitos dos refugiados e migrantes no Brasil? Descubra aqui!

Faça parte da maior comunidade de refugiados e migrantes no Brasil

Inscreva-se para fazer parte da maior comunidade de imigrantes profissionais de tecnologia no Brasil. Receba os melhores conteúdos para alavancar a sua carreira.

Faça parte da maior comunidade de refugiados e migrantes no Brasil

Inscreva-se para fazer parte da maior comunidade de imigrantes profissionais de tecnologia no Brasil. Receba os melhores conteúdos para alavancar a sua carreira.